Tamanho da letra A- A+


MILHO DOCE E PIPOCA

Lorena Basso, presidente da empresa Basso na Argentina, acaba de criar no Brasil a empresa Basso-Br. A empresa de sementes Basso é uma das mais antigas da Argentina dedicada a sementes de hortaliças. No Brasil dará foco na produção e comercialização de sementes de milho doce e pipoca. A empresária está otimista com as perspectivas de negócio, que possui poucos concorrentes e cuja grandeza alcança alguns milhões de dólares.

CURSO DE SEMENTES

De 4 a 8 de dezembro de 2017, a Embrapa-soja estará oferecendo seu tradicional curso sobre produção de sementes de soja. A programação é focada para responsáveis técnicos de produtores de sementes, abrangendo aspectos de produção, avaliação da qualidade, tecnologia de pós-colheita e comercialização. Vários profissionais de renome nacional e internacional já confirmaram suas participações como palestrantes do curso.

FLORES

Em recente congresso de sementes da SAA na Colômbia, as autoridade locais de agricultura salientaram que a proteção de cultivares no país pode ser considerada efetiva pelo número de registros de proteção existentes e pelo pagamento de royalties do produtor de sementes ou mudas ao obtentor. O melhor exemplo vem do comércio de flores em que o país exporta 1,3 bilhão de dólares por ano. Caso a proteção não estivesse funcionando, a Colômbia não teria acesso aos materiais desenvolvidos em outros países, que no caso de flores são a grande maioria.

AQUISIÇÃO


A BASF, após demonstrar interesse no negócio de sementes há algum tempo, está prestes a alcançar seu objetivo com a compra de alguns negócios de sua conterrânea, a Bayer. A proposta é adquirir a tecnologia LibertyLink utilizada para sementes de soja, algodão e canola. A compra envolve a transferência de propriedade intelectual, instalações relevantes e 1.800 colaboradores. A venda foi motivada pela compra da Monsanto pela Bayer, a qual concentrou o negócio.

UPOV

Os registros e acesso na UPOV estão sendo possibilitados via digital on line, de acordo com Leontino Taveira, oficial da UPOV para a América Latina e Caribe, o que realmente facilita e acelera o trabalho dos filiados. Outra novidade é a possibilidade de tradução simultânea de registro de um material desenvolvido num país para registro em outro. Atualmente, são cinco os idiomas oferecidos: inglês, francês, espanhol, alemão e chinês. Num futuro próximo, outros idiomas serão disponibilizados. Iniciativas que facilitam o trabalho são sempre bem-vindas.

ACADEMIA

Estiveram palestrando para os alunos do mestrado e doutorado acadêmico da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Elton Hamer e Izabela Carvalho. Elton palestrou sobre o negócio de sementes de soja com ênfase na qualidade, enquanto Izabela falou sobre as discussões envolvendo os novos métodos de melhoramento vegetal no âmbito da CTNbio. A participação de profissionais com grande inserção no sistema nacional de sementes, na academia, traz grandes benefícios para quem está investindo no conhecimento. Afinal, a realidade dos processos facilita a melhor equação dos projetos.

CTNBIO


Está em discussão na CTNBio as novas técnicas de melhoramento vegetal, como a CRISPR Cas, que que utiliza as ferramentas de engenharia genética de forma simples, rápida e barata para obter novas cultivares. Há consenso de que as novas tecnologias podem originar um produto não considerado OGM, conforme definição da Lei de Biossegurança de 2005. Isto quando o produto final não apresentar moléculas de DNA/RNA recombinante.

TECNOLOGIA

Teve repercussão positiva o pôster sobre boas práticas na Produção e Comércio de Sementes de Soja, de autoria de Geri Eduardo Meneghello, apresentado no Congresso da SAA, em setembro último, em Cartagena – Colômbia. A fortaleza do trabalho é a possibilidade de transformar artigos científicos em informações tecnológicas de fácil assimilação para produtores de sementes e seus responsáveis técnicos.

LOGÍSTICA


Os produtores de sementes se conscientizaram que o agricultor necessita da semente no local e dia certo e na quantidade requerida. Para isso, está se adaptando com mecanismos de carregamento de sementes mais ágeis e protegendo a carga para evitar rompimentos. Um big bag de soja que se rompe são 7.000 reais que se perde. A proteção e rapidez são considerados investimentos.

VISITAS À SEEDnews

O diretor-presidente da empresa Estrela do Cerrado e ex-presidente da Aprosmat e da Abrass, dr. Elton Hamer, visitou a SEEDnews em setembro último. Hamer é colaborador da SEEDnews desde seu começo, possuindo a coleção completa da revista. Salientou em sua visita que o negócio de soja está se consolidando em empresas que adotam um estrito controle de qualidade, ofertando sementes com qualidade assegurada. O domínio das tecnologias para produzir, manter e avaliar a qualidade das sementes é fundamental para quem deseja permanecer no mercado.

VISITAS À SEEDnews

Lucia Pajuelo e Susan Chumbiauca, do INIA (Peru), em viagem de estudo no Brasil, visitaram a SEEDnews. O Peru importa grande parte de suas sementes de milho, as quais, antes da moratória dos transgênicos no país, eram originárias do Brasil, porém atualmente provêm do México, pois não cultiva milho transgênico. Outro assunto, foi sobre a certificação de sementes e os padrões de qualidade, principalmente de germinação e umidade. Entre as sugestões para arroz, se propõe reduzir o percentual de umidade para comercialização de 14% para 13%. Lucia e Susana são promotoras da revista SEEDnews no Peru.

QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL

Defenderam tese de mestrado profissional Flavio Bonfante, da empresa BioAg; Ricardo Pereira, da empresa Monsanto, e Pedro Tomazelli, da empresa AgroSol. Flavio trabalhou com inoculante para sementes de soja, Ricardo com eficiência do despendoamento de milho para produção de sementes híbridas, e Pedro fez um estudo de acesso ao mercado de sementes de soja. A qualificação de pessoal, sem perda de vínculo empregatício, é bastante efetiva, apesar de requerer um esforço extra de quem se candidata.

ANÁLISE QUANTITATIVA


A identificação varietal com a utilização de marcadores moleculares é comumente utilizada de forma qualitativa, ou seja, é positiva ou negativa, com se faz com a soja GM. Entretanto, há metodologia bastante adiantada que também utiliza marcadores moleculares, que possibilita uma análise quantitativa. Parece ser rápido e simples. Esta metodologia será útil na identificação de misturas de materiais GM que estão em vias de serem comercializados no país. Será possível verificar que uma determinada carga de caminhão tenha, por exemplo, 20% de um material A, 50% de um material B e 30% de um material C.

ABRATES

Os congressos da ABRATES são uma ótima oportunidade para os ex-presidentes da entidade se reunirem e analisarem os avanços da ciência e tecnologia. No evento de 2017, conseguiram participar José Rozalvo Andrigueto, Scylla Cezar Peixoto Filho, Ademir Assis Henning, Silmar Teichert Peske, José de Barros França Neto, e o atual presidente, Francisco Carlos Krzyzanowski. Mesmo com as tarefas divididas entre os comitês técnicos, o presidente da entidade possui uma importante função de liderança e posicionamento da entidade frente às situações que se oferecem, quer sejam científicas ou de outra natureza.

USO DE SEMENTES

A associação estadual do RS (Apassul), está com programa ativo de promoção para o uso de sementes de alta qualidade. O foco está sendo no combate à pirataria e ao uso de sementes com qualidade assegurada. O negócio de sementes é dinâmico e muitos players entram no contexto para tomar vantagens indevidas. O processo de conscientização deve ser permanente e com objetivos claros e bem definidos.

LABORATÓRIO DE SEMENTES

A empresa de sementes Lagoa Bonita, com foco em sementes de soja, inaugurou recentemente o seu laboratório de sementes, credenciado para emitir boletins oficiais de análise de sementes. O laboratório está preparado para análise de sementes tratadas e para realizar testes de vigor, conforme as necessidades. O conhecimento da qualidade da semente é essencial para uma venda, bem como para a satisfação do agricultor.

SAA

Diego Risso, diretor executivo da SAA, após o sucesso do congresso da entidade na Colômbia, mantém tratativas para identificar o local do evento para 2019. Vários são os países candidatos, como Paraguai, Peru, Estados Unidos e Canadá, que ainda não tiveram oportunidade. Os congressos da SAA são um excelente local para realização de negócios de sementes em âmbito regional, assim como para atualizações em normativas de comércio e sobre ciência e tecnologia.

publicidade



53 3225.2255 - seednews@seednews.inf.br